quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Catrapumba!



Há umas semanas atrás uma migo nosso, uns bons 10 anos mais velho do que eu, deu um trambolhão a andar de skate puxado pelo cão (isso mesmo! Ideias peregrinas...) e partiu duas costelas e andou mesmo e literalmente todo partido por algum tempo.
O meu marido, que é uma pessoa que gosta de dar as suas opiniões dizia "Nós na nossa idade já não podemos cair, dantes caíamos, levantavam-nos, sacudimos a poeira e voltávamos a cair, agora não!" E eu pensei, "Fala por ti, na TUA idade e não na NOSSA idade, vocês é que precisam de ter mais cuidado, eu tenho 42, ainda me falta um bom bocado para chegar à vossa idade..." E pronto. Ficamos por ali. até que...
A semana passada, a correr atrás do meu filho que estava a fugir-me porta fora (sim, já abrem as portas ainda que estejam fechadas à chave! Se a chave estiver na porta é fácil, se não estiver... também, já sabem que chave é.. e ...), escorreguei no tapete do hall de entrada e caí desamparada, primeiro de costas em cima da esquina do baú, e, depois de partir uma moldura, outra vez de costas e cabeça no chão. Fiquei ali, sem me conseguir levantar, com tudo a doer. O Du veio a correr para mim a dar-me a mão para me ajudar a levantar (um amor este meu filho), só que do alto dos seus 2 anos não teve força suficiente. O Xico, FELIZMENTE, conseguiu abrir a porta e o meu marido e a minha filha estavam a chegar e vieram a correr... Bom, poupando os demais detalhes,  fiquei "entravada" a semana toda, não me conseguia sentar nem estar de pé, nem pegar nos miúdos e nem nada!
Não parti nada, felizmente, mas mandei o maior malho da história!
Foi castigo!! Agora já sei que não posso opinar em situações semelhantes!

3 comentários: