terça-feira, 24 de novembro de 2015

:)


Eheheheh



Ontem quando chegou a casa disse-me toda contente:

- Mãe, senta-te aí no sofá, vou-te cantar uma canção, mas não digas a ninguém porque é para cantar na festa de Natal
_Vamos lá

Pensei que ia ser uma coisa assim meio arremessada, mas fiquei tão surpreendida... Ligou o Ipad, procurou a música que queria, abriu o seu caderno e cantou a música à medida que ia dando no ipad, com uma voz tão doce, tão doce... fiquei deliciada e vieram-me as lágrimas aos olhos de transbordar de orgulho!
Quando acabou, olhou para mim e disse:

-Oh, já estás a chorar Mãe?? .. A sério...

Adeuzinho!



Há dias disseram-me que o meu blog era uma anormalidade, que era fútil, que ninguém quer saber se como chocolate ou não...
Ora, tem razão sim senhor, mas só cá vem quem quer, e quem não gosta não precisa de vir, a sério... na boa!
Eu tenho um blog porque gosto, porque me apetece, e porque me dá algum gosto. Não tenho este blog para ganhar dinheiro, escrever um livro ou ganhar um Pulitzer! Embora confesso, que escrever um livro é um sonho que tenho!
Esta casa serve essencialmente para exorcizar tudo aquilo que me chateia, para ir escrevendo as conquistas e derrotas minhas, dos meus filhos, da minha família e é tão giro quando vou uns anos atrás ver o que escrevi. Gosto dessa sensação.
Aqui funciona mais ou menos como na minha casa, quem vier por bem, (venha venha também não importa seja quem fooooooor - já dizia o Marco Paulo) é muito benvindo, mas quem não vem por bem, dispenso que venha, há na blogosfera todo um conjunto de blogs de política, física quantica e de partículas, literatura, arte, desporto, enfim, uma parafernália de temas para os mais variados gostos... vão lá cultivar-se e não gastem o vosso precioso tempo de iluminados neste blog, fútil, rasca e sem interesse nenhum...
Eu agradeço!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Agree!..


Histérica!



Tinha que ser!
No início do ano passado tivemos uma cadela, escolhemos entre muitos cachorrinhos dentro de um caixote, muitos ainda mal tinham aberto os olhos. Esta, tinha um ar tão querido! Era super pequenina, com o pelo em pé e parecia raiada, foi amor à primeira vista, chamamos-lhe Kali! Veio o caminho todo a chorar, mas num instante se habitou às lides da nossa casa, e cresceu, não muito, mas cresceu. É agora qualquer coisa como um caniche mas de pelo liso, bege muito clarinha e há sítios que é um pouquinho mais escura, linda, mas carregada de energia!
Hoje fui levá-la à tosquia... e teve que ser sedada! Tinha que me calhar uma histérica! Só para levar o sedativo foi um verdadeiro circo! Agora está ali parece uma drogada em estado zen. Se se senta, passados poucos minutos cai para o lado, literalmente.. Ou exageraram na dose, ou a minha histérica é muito fraquinha! Não sei se me ria, se me preocupe!...

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Para ti, filha!

Santa Baby!..



E já que estamos a falar de Natal (eheheheh), acho que é a altura ideal para deixar ao Pai Natal a minha lista de presentes para este ano, ora vamos lá então:

- Era uma renovação completa ao meu armário, a roupa que tenho já tem algum tempo e com tantas lavagens, e agora estás magra, depois grávida, depois gorda... enfim, dava jeito! Mesmo muito jeito.

- A Bimby... queria tanto! Ia ser tão mais feliz!!

- Bilhetes de avião para poder ir mais amiúde ver a família

- Um Range Rover, por favor, full extras! Que isto para pedir, pede-se logo assim (como não vou ter e não, está tudo bem!)

Era isto, se virem por aí o Pai Natal, é fazer o favor de lhe passar a listinha!

Make love, not war



Nós vamos todos morrer. Novidades não há, ainda ninguém descobriu como fazer para não morrer. Vamos todos passar-nos para o outro lado! Disso, não há dúvidas. A nossa passagem por aqui é temporária, por isso, não percebe porque é que as pessoas perdem tempo precioso, a chatearem-se, a pisarem-se, a matarem-se, enfim, a não viver plenamente só porque cultivam o ódio, a maldade, o ciúme, e tantas outras coisas más que agora não me lembro... Porquê? Adianta?
Porque é que em vez de chatices, berros, tiros, não conversamos, sorrimos, abraçamos, e aquelas pessoas que queremos ver fora do nosso caminho, simplesmente ignoramos? Mudamos de passeio, não atendemos o telefone, deixamos de pensar nelas?
É tudo tão efémero..
Depois as fatalidades acontecem..a  todos, e depois vem o arrependimento e "ai se seu lhe tivesse dito que sou uma chata do caraças mas que sem ela não vivo", "porque é que eu lhe fiz isto?"
Gente, vamos parar para pensar, boa?
Vamos abraçar, sorrir, dizer às pessoas que gostamos que gostamos delas, que elas são importantes para nós e vamos deixar de lado todo o resto, está bem?

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Grrrr



Às vezes dá-me vontade de bater em alguém. Claro que não é qualquer pessoa que me apareça à frente, são "alguéns" específicos.
Chateia-me pessoas mal educadas e donas da razão, que nunca se enganam e raramente têm dúvidas, pessoas que gosta de "bater" nos outros e esquecem-se de olhar para elas próprias, pessoas que criticam quem é, no fundo, exactamente igual a elas.
Pessoas que, supostamente gostam de nós, mas nos fazem passar mal, que só olham para os nossos defeitos e não vêm as nossas qualidades (todos, mas todos temos defeitos e qualidades, até mesmo estes seres iluminados!)
Para eles tenho 2 palavrinhas só : KAR-MA!
Vou só ficar sentadinha à espera!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

:)


Fantástico!



Estávamos a jantar, normalmente é quando conversamos mais durante a semana. Lavamos do que ela seria quando crescesse e diz ela:

"Eu quando for grande já não quero ser jardineira, quero ser espiona!!"