quinta-feira, 30 de julho de 2015

Aiai...



Tenho tido uns dias muito cheios. Cheios de trabalho, cheios de coisas para fazer, cheios de coisas para arrumar, cheios de poeira para limpar, cheios de beijos para dar, abraços..
E com isto tudo não me sobra quase tempo para vir por cá, mas já tenho sentido a falta.
E sentir falta é uma coisa que eu agora não posso falar muito, porque é coisa para ficar aqui horas, porque ando saudosa, das minhas gentes lá na Tuga, que isto de estar emigrado tem muito que se lhe diga, há dias mais custosos, e eu esta semana, não sei porquê tenho tido desses dias. Está quase quase, a chegar o Natal... (cof cof!) e já vamos estar todos juntos outra vez... e amanhã já vou estar melhor e fresca e fofa!
Pronto, por agora é isto, fartei-me de falar e não disse nada, o que também é uma arte e tem muito que se lhe diga!!

Deslembrou-se!



-E eu estava a cantar a fingir que estava num palco, só que depois deslembrei-me da música!!

terça-feira, 28 de julho de 2015

O poder da música! #38





Viciei!

Só para que saibas!!


Gosto!



Gosto de me sentir em paz
Gosto de tranquilidade
Gosto de amor
Gosto de abraços
Gosto de beijos
Gosto de rir, rir muito
Gosto de dias simples
Gosto de respirar fundo
Gosto...

quarta-feira, 8 de julho de 2015

:)



Depois de ver o "GRU Maldisposto", diz-me ela assim:

- "Mãe, aquela menina suspensou a respiração até ter um unicórnio novo!"

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Teasers do demónio, pá!!!

Só me faltava mesmo isto para eu não conseguir perder peso!!! Tentações do demo!!
É que eu até nem queria experimentar, mas depois, bom, depois experimentei, e agora... agora viciei, é bom demais para passar ao lado!!


...



Era formatar, por favor!!


Tem dias que adorava ser como os computadores. Juro. Fazíamos um delete daquilo que não interessava, copy daquilo que interessava..  Formatávamos o cérebro cada vez que quiséssemos começar de novo, em qualquer campo, para nem sequer nos lembrarmos daquilo que não queríamos mesmo.. E lá vivíamos como se fosse a primeira vez e as memórias eram só aquelas que queríamos. Os cheiros eram todos novos, os lugares, as pessoas... só ficávamos com a família e os amigos verdadeiros, o resto ia tudo na memória anterior... Eu gostava!
Também gostava que quando quiséssemos o nosso corpo diferente (é o caso agora, 3 quilos a mais que não querem porque não ir embora!), mudávamos a motherboard, ou o.... coiso (pronto, confesso, não percebo nada de computadores!!), mas era de certeza mudar o hardware, e ficávamos com o corpo sem um grama a mais e era bom, era muito bom...
Quem mandou não ser assim? Damn