segunda-feira, 30 de abril de 2012

:(

A Crónica de Ontem no Público do Miguel Esteves Cardoso despedaçou-me o coração...

Às vezes encontramo-nos com a cabeça nas mãos. Tudo o que poderia ter corrido bem correu mal. O mundo, que era igual à vida, afasta-se de repente. Distancia-se e continua a existir, como se nada tivesse a ver ou a haver connosco, como se fizesse questão de mostrar a independência dele, mundo, que não existe só porque nos damos conta dele. A má notícia é má, mas a pior, para quem cá está, é a pessoal. A minha pessoa é a Maria João e a Maria João passa mal. Nem o amor nem a sabedoria médica a podem salvar. Só uma conjunção das duas coisas, mais um acrescento de milagre. O cabrão do cancro alastra-se. Exterminado no pulmão ou na mama, foge para o cérebro, onde se refugia e cresce. Forma uma força da morte, aproveitando as barreiras antigas entre o sangue e o cérebro, que infiltra conforme lhe apetece. Hoje, domingo, é o último dia em que estaremos juntos, dois amores, felizes há quase vinte anos. Amanhã, logo às nove da manhã, estaremos na consulta dos excelentes neurocirurgiões do Hospital de Santa Maria, onde nos avisarão das complicações possíveis. Obama deveria inspirar-se na perfeição clínica e humana do serviço de saúde português e francês. Mas a dor não diminui. Nem a tristeza abranda. Vai morrer o meu amor. Não vai. Como o meu amor por ela, nunca há-de morrer. As coisas acontecem sem acontecer o pensamento nelas. A alma, o coração e a cabeça são coisas diferentes. Que se dão bem. E são amigas. E deixam de ser quando morrem.”


Ai Ai os Homens!!

Às vezes acho que os homens têm problemas sérios de compreensão. Eu sei que nós somos as ditas complicadas, mas na verdade não acho nada! Somos simples, gostamos de mimos, de nos rir, um abraço apertado, umas lamechices e a coisa vai. Os homens, não consigo entender ( e atenção que este post é só para quem serve a carapuça, não é para ninguém em especial). Ora as variações de humor de uma mulher, já se sabe, ou está com a TPM ou não compra uns sapatinhos há mais de 3 meses, não estou assim a ver outro motivo que valha a pena enumerar.
Já os gajos num dia acham um piadão a uma parvoíce qualquer que lhe disseste, no dia a seguir se queres ser engraçada é bom não voltares com a mesma parvoíce, corres o risco de levar com uma dissertação acerca das muralhas da China e da implantação da república tudo no mesmo discurso e no fim ainda achas que realmente foi completamente despropositado teres querido brincar um bocadinho!

Sapateiro



Hoje de manhã o despertador tocou e ouvi:
- Maããããaãe assustei e quero leitinho!
Lá me levanto eu e ela abraça-se a mim
- Mãe, o teu cabelo pica, tens que ir ao sapateiro!
- (...)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Help!!



Está um dia lindo!! Chove como se o mundo estivesse à beira do fim, escuro como breu e frio. Eu, tenho que ir fazer uma viagem de 60 kms não tarda e a vontade que tenho de me fazer à estrada com a minha filha doente é menos que zero. Mas tem que ser. Compromissos são compromissos. (Juras? Tem mesmo que ser?... man... não me apetece nada)
como só faço os feriados Angolanos hoje tenho que trabalhar, mas parece que o servidor em Luanda fez feriad, está solidário, pronto. Então não consigo fazer umas coisas urgentes antes de sair..
Isto hoje promete!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Canseira!


Não sei o que tenho. Estou cansada. Só me apetece dormir horas a fio, horas sem parar.. aliás, não parar de dormir. Sinto-me sem força e sem vontade. Sei que se não tivesse de trabalhar era capaz de estar quieta, muito quietinha. Depois tenho a minha filha, felizmente carregada de energia mas que precisa de todos os cuidados, o jantarinho saudável e a horas, o banho quentinho, o biberon e dormir àquela hora que as crianças dormem. E eu preciso de fazer isso. Não tenho quem faça por mim ou até quem me ajude.
Chego à noite com a sensação nítida que corri a maratona o dia inteiro e que não me sobrou nada, mais nada para ninguém. Por isso quando a vou adormecer... durmo também, e tem sido assim. Todos os dias.

O Pequeno Almoço na cama!

Detesto! Não posso odiar mais. Toda a gente fala "até me trouxe o pequeno almoço à cama!" " hoje foi tão especial que até começou com o pequeno almoço na cama." Está certo, as pessoas não têm que pensar a mesma coisa sobretodosos assuntos, agora estar ali remelado, a comer iguarias que normalmente incluem, pão, brioches, croissants e merdas que largam migalhas a mim não me apanham. É que é tudo muito bonito mas a cama fica cheia de migalhas que só é das coisas mais desconfortáveis do mundo! Eu, até quando estou doente e mal me consigo levantar, tomo o meu banho e a seguir sento-me à mesa e tomo o meu pequeno almoço descansada e pouco preocupada para onde estão a cair a migalhas, e se for caso disso, volto a deitar-me na cama, sem a mínima preocupação de ter que sacudir os lençóis e cenas assim!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Vamos lá!

que bem que aqui "está-se!"


Está frio, que está! Bem sei que não está frio polar mas como já não estou habituada sinto as minhas mãos a gangrenar (quase, vá), as pernas geladas e os pés parecem 2 pequenos blocos, aliás, cubos, que o meu pézinho 35 não pode ser chamado de bloco.
E aqui estou a trabalhar (exactamente neste momento não que estou aqui a escrever, mas estive antes e vou estar depois)... e tenho frio e gostava de me ir embora...e NÃO!! Não me estou a queixar é só a constatar, pronto!
Afinal é óptimo, mesmo!!! Muito cool estar em Portugal, longe do marido, do calor, das rotinas... hã hã

terça-feira, 17 de abril de 2012

O poder da Música!#18



Para dar ânimo! Que todos precisamos!... :)

:)

Eu - Isabelinha, vamos lá, está na hora de dormir
Ela- Tá bem
(...)
Ela (de dedo em riste)- Mas não desacendas a luz senão eu não vejo nada!

Nem mais e nem ontem!

Back!


Às vezes deixamos que a nossos medos e inseguranças nos dominem, vivemos constantemente com medo de errar, de cair e não nos conseguirmos levantar, de termos feridas abertas e não sermos capazes de as lamber para as curar.
Dei comigo a entrar numa fase dessas, com medo da própria sombra e a olhar para baixo em vez de fazer peito, e enfrentar tudo e todos, linda, maravilhosa e competente.
E é assim que eu vou ser a partir de agora que é oficial, a partir de agora vou voltar a ser a Ana, alegre, com energia e que leva tudo à frente, capaz de mover montanhas e com um perfume maravilhoso... e uns sapatos!
Amigos, voltei!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sadness


Às vezes dá-me vontade de mandar tudo para o ar. Juro. De desistir, de não querer acordar no dia seguinte para a luta diária. Às vezes não tenho mais força.
Estou em Portugal desde o dia 25 de fevereiro de não tenho nenhuma perspectiva de data pra me ir embora.
Estou triste. Tão triste que nem me apetece pensar, nem estar com ninguém.
Sábado são os meus anos, sábado vou estar longe do meu marido, sábado vou estar aqui, sem vontade de ter festa ou de apagar velas.
Vou estar com  a minha filha, sim, posso até estar com a minha familia e até amigos, sim... mas queri estar lá, onde é quente, onde na verdade sinto que é o meu lugar.
Hoje estou triste, estou muito triste.