quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Ora toma!

Durante o jantar a brincadeira era entre ela e ele.
Ele fingia que marcava números num telefone imaginário. Ela atendia também num telefone imaginário:

-Olá pai
-Olá filha, estás boa?
-Tou boa
- Foste para a escola
-Sim
- E foi giro?
(blábláblá)
-Então adeus, vou desligar

Eu achei que também queria a mesma coisa e disse:
- Agora sou eu que te vou ligar.
Ela, com um ar arremessado, levanta a mão e diz, "Não, Mãe, tou sem bateria no meu telefone!.."

Sem comentários:

Enviar um comentário