segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Para ti!

Os relacionamentos, como todos sabemos não são fáceis, embora quando se gosta, se ama de verdade, tornam-se um bocadinho menos dificeis. Tomemos o meu casamento como exemplo, sem estar a entrar dentro dele, claramente. Casei com 33 anos com o homem da minha vida! Tive a certeza que não haveria mais niguém tão perfeito para mim como o Eduardo. Casei absolutamente paixonada e convicta do meu amor. Senti que com ele se passou o mesmo. Passámos por momentos marvilhosos, por momentos bons, por momentos assim-assim, por momentos maus e por momentos péssimos. Às vezes discutimos, às vezes também somos parvos, às vezes dizemos o que queremos e o que não queremos só porque não estamos nos nossos melhores dias, às vezes estamos sem paciencia, às vezes pensamos o que não devemos, mas SEMPRE (até agora obviamente, que nada é garantido para sempre) conseguimos superar os nossos problemas ou crises ou parvoíces, porque amar é isso mesmo, amar é ter capacidade de conseguir superar os obstáculos que nos vão aparecendo e ultrapassá-los juntos. É perceber que não somos perfeitos de maneira nenhuma, que somos pessoas e como tal erramos, fazemos asneiras, não fazemos o que deviamos fazer, não dizemos o que deviamos dizer, não nos lembramos de merdas óbvias... enfim.. o camandro e um par de jarras, mas sabemos perdoar.
Nestas coisas do coração, SEI que não devemos nunca tomar nada como garantido, há tiros certeiros que nos chegam sem darmos conta que nos desfazem o coração em mil pedaços e vivemos no mundo e o mundo tem pessoas e...you never know.
Por isso, só queria aqui dizer ao meu marido que ele é, sem sombra de dúvida a melhor pessoa que eu já conheci para além de ser o melhor marido do mundo e eu devia, todos os dias da minha vida agradecer por ter o previlégio de ter ao meu lado uma pessoa assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário