terça-feira, 31 de maio de 2011

Os lugares e as gentes

Hoje tive que ir à loja do cidadão! Duas vezes! Sim, que isto para ser mau é mau a sério! Lá fui eu com a minha filha e o meu neto (o coelhinho branco que ela resolveu que queria levar!). Não é que estivesse muita gente, que não estava, mas ele era senhoras desdentadas, rabos gigantescos (sabes daqueles que devem ser confortáveis para estar sentados?), chinelos de dedo com dedos, bem... com dedos inacreditáveis, unhas fluorescentes, loiras platinadas, body builders, camisolas de cavas, tatuagens tribais e Tatianas e Fábios, cheiro a próximo... E há uma coisa que odeio, juro que odeio, é que toquem na minha filha , pá, não gosto! E la vinham "Atom? Como te chámas?", "Ele é o Ruben bai brincar mais ele", "Olha, ánda cá, deixa eu ber os teus olhos", " Ai que princesinha, tu tens um gatinho?" Pá... para já era um coelho, bem giro, por sinal, depois deslarguem a minha filha que eu fico possuida pelo demónio...

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Os gajos

Pá, os gajos às vezes tiram-me do sério! Todos! Todo e qualquer ser desta espécie, tem o dom de uma vez por outra me tirar do sério e de me dar vontade de largar a dar-lhes na tromba e era muito bem feito. É que para além de não conseguirem fazer mais do que uma coisa ao mesmo tempo (sim, porque toda a gente sabe que o mulherio é multi tasking!), tem coisas brilhantes como babarem cada vez que passa uma gaja de mini vestido (não interessa se é matrafona, se tem o corpo coberto de pêlos qual canguru, se é zarolha ou em formato sempre-em-pé) é vê-los a torcer o pescoço, outros, pior ainda, passa uma jeitosa (tipo assim como eu! cof cof!) e vai de mandar bocas foleiras assim para dentro não vá a gaja ouvir, é que nem se sequer se assumem, pá... vão lá, digam-lhe alto e em bom som "Comia-te essa %$#" toda" e olhem-na nos olhos, mas  não, nada disso, quando são confrontados há que disfarçar com um "posso-te conhecer"?. É óbvio, muito óbvio que concerteza que não. Jamais (ler em francês, por favor). Depois há aqueles que queriam fazer isto tudo, mas... não conseguem, coitadinhos, não vão lá das canetas e depois tudo lhes corre mal, ficam envergonhados, nem chegam a falar ou sequer a ir lá... era abaná-los com toda a força!!
Hoje estou irritada com os gajos não sei se já se percebeu!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Super

Às vezes dou comigo a pensar que gostava de ter super poderes, não queria ser a super mulher, até porque acho que todas as mulheres são um bocadinho super mulheres, queria mesmo ter dons especiais, assim do género de ter uma varinha de condão e aí vai disto, toca a limpar a casa, a esvaziar a máquina da loiça (que não há coisa que eu mais odeie fazer do que esvaziar a máquina, é inacreditavel), passar a ferro (que nem sei como se faz)... Mas essencialmente gostava de conseguir minimizar o sofrimento àqueles que amo, gostava de conseguir fazer aparecer a pessoa certa para aquela minha amiga que tanto precisa, de não magoar (ainda que sem intenção) aqueles que me fazem bem, gostava de conseguir acompanhar a minha filha em toda e qualquer etapa do seu desenvolvimento e crescimento e ... vida.., gostava de consegui resolver problemas dos que me são mais chegados.. Na verdade, o que eu gostava era de não complicar tanto tanto a vida que é tão simples e nós humanos (eu no inicio da fila) gosto tanto de complicar!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Desabafo!

É só para dizer, e ficar escrito que detesto Bacalhau à Braz!!!!

E já que falamos de batons..

Já experimentaram estes??



Têm tons lindos e são tão confortáveis!!!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Incoerências

Para falar um bocadinho (mas só mesmo um bocadinho de mim!) devo dizer que sou de ondas, não sou própriamente uma pessoa coerente comigo própria em alguns aspectos, senão vejamos... como sabem e se não sabem , ficam a saber, sou completamente vicida em chocolate, pronto, sofro de uma adição que me consome, há alturas em que um chocolate de leite de 300grs dura, no máximo 1 dia, e depois há aquelas alturas em que nem um quadradinho como, tendo, no entanto, sempre, chocolatinho na minha dispensa. Estou neste momento numa dessas alturas em que nem me lembro do chocolate. Houve também alturas em que me apaixonei por sapatilhas e tinhas quinhentas mil de todas as cores e feitios, agora gosto de sapatos, com tacão, altos, lindos... que não devo usar agora por vicissitudes da minha vida... houve a altura dos iogurtes de nestum, depois dos glosses em vez de batons, agora só gosto de batons em vez de glosses...
Serei normal?

domingo, 15 de maio de 2011

As bocas e os joanetes!

Eu acho que um relacionamento amoroso depende de imensa coisa, mas primeiríssimo de tudo depende das bocas! As bocas ou encaixam ou não encaixam, quando não encaixam é mais ou menos como os joanetes, quero eu dizer, um pé com joanetes não fica, de todo, bem nums Louboutin (na verdade não fica bem em sapatos nenhuns, nem em havaianas), e as bocas que não encaixam não ficam bem uma com a outra. Não há faísca, não há borboletas no estômago, não há "anda cá "é mais "vamos mas é acabar com isto que ainda agora me lembrei que tenho que ir ali... mesmo neste preciso momento e é mesmo muito importante".
Portanto, a bem dos relacionamentos, minha gente, antes de qualquer outra coisa, vai um beijo, com sentimento e ver o "encaixamento" das bocas... que é tão bom quando encaixam!!! Não é?

terça-feira, 10 de maio de 2011

O poder da música

É inacreditável o poder de certas músicas! Algumas fazem-nos lembrar o primeiro amor aos 14 anos, que segurávamos a mão e combinávamos ouvir a mesma música à mesma hora, outras fazem-nos lembrar momentos bons com pessoas que gostamos ou momentos maus e pessoas horríveis, outras ainda nos transportam para lugares, países, outras como que, por magia têm cheiro, ou que nos fazem dançar como se não estivesse ninguém a ver...
O que é certo é que há sempre umas mais especiais que outras, que só porque estamos felizes apetece-nos ouvir.
Tenho feito umas caminhadas aqui à beira-mar por ordem expressa da senhora doutora e levo sempre a minha música comigo, nunca escolho o que quero ouvir, as músicas vão aparecendo e fazem-me aumentar o ritmo, abrandar, cantar e outras que só me fazem pensar "Eiiiiiiiia bem que já não ouvia isto há anos!" E hoje tive esta surpresa... em repeat...


domingo, 8 de maio de 2011

(Re) Começo

Pensado e repensado, o melhor é dar que fazer aos neurónio, aos dedos (sim, porque a motricidade fina deve ser desenvolvida toda a vida, não vá aparecerem gangrenas!) e volta e meia vir aqui dizer qualquer coisinha: O estaminé existe e como tal, mesmo sem seguidores ou visitas, o que me importa é o gozo que me dá e o alivio que me faz sentir depois de, mesmo destabalhoadamente vir aqui depositar e vomitar baboseiras. Hoje pensei nisso enquanto de manhã arrumava pela terceira vez os livros na prateleira do quarto da minha filha e apanhava do chão ganchos, pequenos pedaços de bolacha e restos mortais de balões que já tinham sido muito "brincados". Preciso de falar, de partilhar, de extravasar sentimentos e sentir-me bem, e afinal, é para isto que serve um espaço de escrita criado por nós e para nós.
Virei, virei sempre que precisar, que quiser, que me apetecer, mas sempre com muita vontade de escrever a minha alma!