sábado, 30 de outubro de 2010

Dos desejos

Pois ando! Ando sim senhor com pouca vontade de cá vir... ou com pouca coisa para contar! Mas estive aqui a pensar que... nem só de peixes vive a mulher, por isso, e como sou mulher, neste blog vai falar-se de tudo! Sapatos, carteiras, maquiagem, sapatos, perfumes, sapatos... enfim, do que me apetecer...
Como não sou de perder tempo vou mesmo começar já.

EU QUERO:


Em qualquer cor, que não sou pessoa de ser esquista...

PS - Alguém tem o telefone do meu marido?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

E ainda o peixe

E a saga continua.
O peixe ainda não morreu, mas também já não está exatamente vivo, a verdade é que passa o dia a serenar virado de barriga para cima e só se mexe se lá vamos falar com ele. Ora isto é uma grande chatice... passo a vida a pensar "pronto, é agora, lá vou eu por o desgraçado sanita abaixo", mas não, ainda não. As pessoas que cá vêm a casa, as visitas dizem "olha, acho que o vosso peixe... foi-se" e nós já nem olhamos para o aquário, dizemos "não foi nada, dá uma pancada no aquário que ele mexe". E rimo-nos.
Só que não tem piada nenhuma, é que ainda por cima tenho que lhe mudar a água outra vez e nem tenho coragem porque das duas uma, ou o mato num ápice ou continua ali... moribundo, sem dar o último suspiro!.. Neste caso o último.. "coiso" que o gajo não suspira ,limita-se a respirar pelas guelras, mal, é certo, mas vai indo...
E neste caso? Será legal morte assistida?
 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico, que, para que saibam não concordo nada e acho uma grandessíssima e enormíssima anormalidade.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Para que vejam!!!

Cá está o gajo de cabeça para baixo, mas vivo da silva!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Balélo

Pois! Eu sei. Já devia ter vindo aqui pelo menos para dizer que o peixe preto dos olhos esbugalhados continua aqui, às voltas no aquário... Ora de cabeça para cima, ora de cabeça para baixo, mas lá vai andando! Ufff Safei-me desta!
A verdade é que ainda não me habituei a este estaminé, ainda não lhe tomei o gosto... às vezes nem me lembro que ele existe, o que é triste, coitadinho... mas devagar devagarinho há-de começar a fazer parte da minha rotina diária e vai ser a loucura... ou então não... mas vamos finalmente ao que interessa: A MINHA FILHA, sim, essa lindezura, tem quase 2 anos e está naquela fase que repete tudo o que ouve, faz ziliões de asneiras e tem o seu próprio dialecto, por exemplo se lhe perguntarmos:
- "Como te chamas?", ela responde
- Balélo
- Não filha, Isabel
- Balélo
- I-sa-bel
- Ba-lé-lo

... Quer dizer, é que nem se parece um bocadinho com Isabel... Nada. Rien... mas que é giro é!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Sou uma assassina de peixes!

Estou com a minha alma numa negrura só! Mesmo! Então não é que há um ano atrás, mais coisa menos coisa, resolvemos comprar 2 peixinhos para termos cá em casa, um dourado e o outro preto. E foi muito giro. As meninas adoraram e a minha filha que começava a dizer as primeiras palavras delirava e até queria comer a olhar para os peixinhos. E pronto. A verdade é que, com o passar do tempo, todos foram perdendo o interesse pelas ditas criaturas. Eu tinha o cuidado de lhes dar comidinha e volta e meia mudávamos a água. E eramos felizes e assim. Até que, há mais ou menos 2 meses atrás fui mudar a água ´do aquário e 2 dias depois, quando cheguei a casa depois do trabalho, o peixinho dourado boiava de barriga para cima, estava, portanto, morto, finado! Confesso que fiquei assim incomodada, mas apressei-me a pôr o bicho pela sanita abaixo. E lá foi ele coitadinho.
O preto aqui ficou, sozinho, sossegadinho, ali às voltas no aquário... Entretando lá lhe mudei a água e passados uns dois dias "dei com ele" (adoro esta expressão) muito paradinho, sem mexer uma barbatana que fosse e lá bati no aquário, e o rapaz vai de nadar como se não houvesse amanhã. Espectáculo, pensei eu, foi falso alarme, mas a verdade, é que, desde então vejo o animalzito a lutar, juro!! Ora está de barriga para cima a boiar qual finado, ora está de ladeiro a tentar manter-se direito... fico triste! Coitado, nem o peixe morre e nem a gente almoça e está ali a sofrer... Mas para que é que eu lhes mudo a água??? É que mato-os!